terça-feira, 25 de outubro de 2011

A Praça



Faço dos sonhos o meu berço, tapete de viajar
Não sei, não morro de amores por ti, só em sonhos, doces de degustar

Faço de minhas lembranças, amarração de folhas soltas no céu
Se misturando ao vento morno, composições com gosto de mel

Poemas,
Alma de uma canção,
que foi cantada, de dentro do coração
Momentos,
Pedaços de uma vida
soprados, nas cordas do violão

Faço dos sonhos o meu barco, para poder te alcançar
E em minhas lembranças claras, em ti poder navegar

Junto pedrinhas no chão, e faço o meu castelo
Com gosto de goiabas doces, jabuticaba e marmelo

Brinquedos,
Esparramados na praça
Crianças cheias de vida e de graça
Coreto,
O centro de uma canção
da Praça, ele é o coração

Não vejo a hora de voltar, a ser criança
Para poder te encontrar...
E ansiosa aguardo a hora, da partida
Para teu mar visitar...

Pedrinhas,
Brancas como os teus momentos
Peixinhos,
Jardins do meu pensamento
Saudade,
De algo que não tem mais
De um tempo
Que há muito já ficou pra trás...

domingo, 16 de outubro de 2011

A Atitude Pró-ativa


Eu não gosto de escrever em meio a uma crise, e sim, houve agora uma crise e eu mesma estou em crise...

Não gosto de escrever em meio a crise porque eu me conheço! Apesar de ser brasileira, e ter em minhas veias o sangue alemão, herdado da parte do meu pai, eu tenho também rompantes de italiana, quando fico nervosa ou tensa eu costumo externar a minha raiva em explosão de gestos e falações, típico de uma italiana, e a vantagem disto é que eu não guardo raiva. Após isto eu me tranquilizo e muitas vezes perdoo, o que é bom para a preservação da minha saúde.

A desvantagem é que invariavelmente na hora eu perco a razão por estar com raiva, e isto não é sábio e nem bom, até porque nos impede de refletir antes de opinar.

Então com o tempo eu aprendi a me calar no rompante da crise, e só opinar depois.

Eu também constumo escrever aqui de forma mais voltada para quem está conhecendo o Islam agora, para o leigo, e não para quem já conhece o Islam, embora saiba que acabe contribuíndo também para os meus irmãos e irmãs na construção do conhecimento que é dever de todo muçulmano, de toda muçulmana.

Mas hoje talvez eu esteja escrevendo mais para quem já é muçulmano, não sei...

Tivemos ao longo deste fim de semana a notícia de triste fato motivado por preconceito religioso por parte de um centro de treinamento de condução de veículos e por parte do Detran, me refiro à irmã que teve sua prova de renovação da carteira de motorista interrompida por estar usando hijab.

Este fato motivou, além das medidas legais cabíveis que eu sei que darão sim frutos, já que todos os envolvidos tiveram o grande azar de, além de ter provada toda a sua atitude preconceituosa, terem mexido com integrante de família importante, também protestos e opiniões acaloradas de todos os muçulmanos através da internet, todos aliás com muita razão sim porque um crime de preconceito religioso foi praticado contra uma irmã nossa.

Para quem não sabe:

Discriminação religiosa é crime! Enquadra-se no art. 20 da Lei Caó (lei nº 7.716/89 alterada pelas leis nº 8.081/90 e 9.459/97. Lei nº 12.288/20.07.2010) conforme abaixo:



Art. 1º - Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.


Art. 20º - Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.


Pena: Reclusão de um a três anos e multa...

Também tivemos a manifestação de pessoas que, sem a mínima base de conhecimento, protestaram alegando que a proibição está certa, que nos "países islâmicos" não há respeito a outras religiões e escolhas, etc, etc, etc...

Em primeiro lugar, NÃO EXISTE PAÍS ISLÂMICO NO MUNDO HOJE EM DIA.

Isto é muito simples de constatar: Existe algum país cujo governo seja capitaneado por um Khalifa? Não? Ah então sinto muito mas não tem então nenhum governo islâmico...

O que existe, aí sim, são países de MAIORIA ISLÂMICA, e tem de existir mesmo, afinal o ISLAM HOJE EM DIA É A MAIOR INSTITUIÇÃO OU CONGREGAÇÃO RELIGIOSA DO MUNDO.

Ah sim o Cristianismo é maior... Mas é maior se juntarmos todas as congregações, inclusive a Católica, em uma só religião. E a Católica é a maior delas ainda.

O Islamismo é maior do que o catolicismo, então é a maior congregação religiosa hoje em dia.

Em segundo lugar, 99,9% das pessoas que opinaram na forma de achar certo a atitude preconceituosa:

01. Nunca moraram em um país de maioria islâmica;

02. Não conhecem ninguém que mora lá;

03. Não conhecem e nunca conversaram com nenhum muçulmano e nenhuma muçulmana;

04. Não sabem o que é de verdade o Islam.

E por não saberem o que é o Islam, confundem RELIGIÃO COM NACIONALIDADE, um grande erro, e consideram que atitudes de países cujos governos sucessivamente têm se afastado do Islam e trazido de volta os costumes abomináveis da Era da Ignorância, tão duramente combatidos pelo Profeta Muhammad (saws) POR DESLEIXO, ou muitas vezes por "EXCUSOS INTERESSES" de grupos e governos longíquos e poderosos, como atitudes islâmicas, quando não são.

Basta lembrarmos da atitude de Saladino (escrevo assim para ser identificado por todos) por ocasião da tomada de Jerusalém, não só preservando todos os locais cristãos como também permitindo o acesso de cristãos a estes locais.

Basta citarmos que não: muçulmanos e cristãos egípcios não estão em guerra, a não ser quando são incitados e direcionados a isto por "grupos" cujos interesses são muito mais profundos e satânicos do que um eventual motivo religioso.

Mas, na verdade eu vim falar aqui de duas coisas:

01) O cumprimento da LEI;

02) A atitude pró-ativa.

A atitude pró-ativa é aquela atitude que possibilita a ação positiva, a construção verdadeira da defesa legalista, e que dá frutos, ao contrário do que acontece quando ficamos apenas reclamando e nos vitimizando.

Há uma lei a ser cumprida, há uma comunidade que cresce de forma espantosa todos os dias no Brasil que, repito, porque já falei sobre isto, precisa acordar, deixar suas diferenças internas de lado, se unir, se organizar, e exigir os seus direitos.

Eu ainda sinto que falta isto na comunidade islâmica brasileira, estamos precisando de organização e ação.

Então tá, o que deve ser feito no caso? Precisamos da garantia de que fatos assim não vão se repetir, precisamos exigir o cumprimento da lei, precisamos agir!

A atitude pró-ativa acontece quando você:

01) Observa;

02) Obtém a consciência a partir da reflexão de sua observação;

03) Com base nestas reflexões e na conclusão delas, elabora um planejamento;

04) Executa o que foi planejado.

Isto leva a uma atitude pró-ativa, e ela começa a nível pessoal quando você cumpre o seu papel na defesa de seus direitos e do Islam no seu dia-a-dia, e desemboca na atitude social quando você une forças com os seus irmãos e irmãs, para exigir o direito do grupo, e promover a defesa do grupo, dentro do que é estabelecido em lei.

E este ponto que precisamos por em prática, é isto que me move a escrever aqui.

Irmãos e irmãs, precisamos nos unir, ter a consciência do que nos garante a lei, e exigir este cumprimento.

Esta é a minha opinião.

Salam!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Blog CRÓNICAS DAS MUÇULMANAS NO OCIDENTE - vale a pena conhecer =D

Eu estou participando como uma das autoras do blog CRÓNICAS DAS MUÇULMANAS NO OCIDENTE, um blog muito divertido e bem humorado, um trabalho muito bom realizado por diversas mãos de irmãs queridas, e internacional já que une irmãs de Portugal e do Brasil.

Tudo isto está fazendo com que o blog seja algo realmente diferente e delicioso tanto de ler quanto de participar, conferindo a ele um "tempero" todo especial!

Eu estou participando com muito carinho deste blog e convido todos que curtem este meu cantinho a conhecer também este blog, garanto que vocês irão se divertir com as nossas histórias, todas reais, vividas no nosso dia a dia de muçulmanas no Ocidente!

Pensa que é fácil ser uma muçulmana por aqui???

Rs... não é fácil não, mas com bom humor e boas intenções no coração, dá para sobreviver e ainda se divertir =)

Espero que todos gostem!

Salam!

Shahada - Thami Khadija


Shahada da querida irmã Thami Khadija, um momento muito emocionante!

A Shahada é o testemunho de fé, um dos 5 pilares do Islam, e o momento exato em que uma pessoa se torna muçulmana, é a reversão ao Islam.

Foi a parte mais linda do nosso passeio no Zoológico de São Paulo no dia 12 de outubro de 2011. =)

E eu tive a honra de ser testemunha e de falar as palavras para ela repetir:

"Ash hadu an la illaha ila Allah, wa ash hadu Muhammad rasullullah"
"Testemunho que não há outro Deus além de Allah, e que Muhammad é seu mensageiro"

A partir deste momento, a Thami se tornou muçulmana, todos os pecados anteriores dela foram perdoados, e ela ganhou uma nova vida de fato!

Que Allah facilite os passos dela e abençoe sempre a vida e a casa dela!

Allahu Akbar!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Passeio no Zoológico de São Paulo



Dia 12 de outubro é feriado aqui no Brasil.

Um feriado misto, porque é o Dia das Crianças, e também porque é um feriado católico, Dia de Nossa Senhora Aparecida (Padroeira do Brasil) e o Brasil é um país muito engraçado, se diz Laico mas NÃO É.

É laico sim, contando que você, independente de qual seja a sua religião concorde em ser forçado a aceitar "de livre e expontânea vontade" que as datas comemorativas cristãs (na verdade com ênfase no catolicismo) são mais importantes do que outras datas e devem ser motivo de feriado, festa e outras coisas mais...

Bem, mas como é feriado mesmo, eu e algumas amigas e irmãs no Islam resolvemos marcar um delicioso passeio no Jardim Zoológico de São Paulo, um autêntico "Programa de Índio", como se diz por aqui, ou seja, um programa que com certeza dará errado!

Porque? Ah... porque especialmente no Dia das Crianças, o Zoológico fica lotado de gente, e já é muita sorte conseguir chegar até a portaria, afinal apenas uma estreita e antiga avenida, comprida e sem alternativa de caminhos, leva até o complexo de parques onde o Zoológico está localizado, imagina então entrar no mesmo...

Mas fomos abençoadas e conseguimos entrar até com certa facilidade, apesar das imensas filas tanto no terminal de ônibus quanto nas bilheterias do Zoológico.

Entramos Allhamdulillah, e de fato o parque estava cheio!! O Jardim Zoológico de São Paulo é simplesmente o maior Zoológico da América Latina (em São Paulo tudo é grande, ou imenso...) e eu vou dizer uma coisa para vocês: meninos e meninas, eu nunca na minha vida tirei tantas fotos como tirei no Zoológico!! =O

Se vocês estão pensando que eu fotografei os bichos... erraram. Na verdade todo mundo resolveu me fotografar, seja pedindo para tirar fotos, seja tirando sem pedir, seja tentando disfarçar que estava fotografando, ou tirando fotos comigo e com as meninas, entre nós, o fato foi que o que eu mais vi por lá foram luzes de flash em minha direção =S. Teve uma hora que eu pensei, "daqui a pouco me colocam em um habitat e não deixam eu ir mais embora..."

Ser fotografada é uma coisa normal para uma munaqaba brasileira, afinal somos de fato raras no Brasil. Eu particularmente já estou acostumada, na verdade sempre pedem para tirar fotos comigo quando eu saio de casa, mas nunca vi tanta gente assim. A vantagem é que a pessoa acaba conversando comigo e eu aproveito para fazer Dawah, mas ontem foi como se um enxame permanente de fotógrafos nos perseguisse por onde nós íamos no Zoológico...

O passeio em si foi ótimo, as pessoas não incomodam de verdade, ao contrário sempre se mostram educadas, e a companhia das queridas irmãs Najla, Michelle e Thami foi o suficiente para garantir um ótimo dia.

Destaco um simpático rapaz que, tendo nos abordado perto do setor de répteis com a intenção de tirar uma foto nossa, e certamente tendo concluído que éramos "árabes" e portanto não devíamos falar português, limitou-se a se comunicar conosco por meio de gestos, e foi assim até o fim quando agradeceu pela foto, sem pronunciar uma palavra sequer.

Outra abordagem interessante também foi a abordagem de duas simpáticas senhoras que se mostraram de fato emocionadas por me ver! E elas nos chamaram de "mulheres do caminho" como se fôssemos a coisa mais rara do mundo, e comentaram sobre uma tal "pastora" - "... que pena que a pastora não está aqui para ver vocês..."

Entre os animais, para variar um pouco, eu fiquei fascinada ao ficar perto mais uma vez das minhas queridas Harpias! Para quem não sabe, a maior, mais forte e mais impressionante ave de rapina do mundo, é brasileira! Seu nome é Harpia, e eu acho que ela deveria ser eleita um dos símbolos do Brasil!

Harpia

Para vocês terem uma idéia da dimensão desta águia, as unhas da harpias são maiores do que as unhas do urso pardo, o maior urso que vive na América do Norte. A fêmea da harpia, maior do que o macho, chega a ter uma envergadura de 2 metros de comprimento de ponta a ponta das asas, um animal realmente impressionante, e eu me sinto muito bem perto delas.

Elas me fascinam todas as vezes que eu vou ao Zoológico, e o Zoológico de São Paulo tem sido muito bem sucedido na manutenção destas aves impressionantes, tendo dois viveiros imensos que permitem o vôo contendo cada um destes viveiro, um casal.

Outro animal que me fascinou muito foi o Rinoceronte branco, porque eles são fofinhos! Dá vontade de entrar no viveiro e apertar a bochecha deles =) e eu sou uma verdadeira menina e me dou muito bem com animais, e gosto de bichos fofos assim, tá bom? =D



Vimos também o Trigo, um tigre siberiano imenso criado com mamadeira pelos biólogos do Zoo, os cachorros vinagre, e muitos outros animais, mas infelizmente eu descobri que os meus queridos bisões norte-americanos não estão mais lá, e eu não sei o que aconteceu com eles.


Cachorro-vinagre, um canídeo típico do Brasil e América do Sul em geral
Eu gostava muito de estar com eles, e na vez anterior que eu tinha ido ao Zoológico, um deles se aproximou de mim e abaixou a cabeça, eu extendi o braço e fiz carinho na testa dele e ele ficou ali um tempão quietinho recebendo o meu carinho, enquanto um distinto senhor levava uma senhora cusparada na cara de uma lhama mal educada no viveiro ao lado...


Sussuarana, ou onça parda, também conhecida como Leão da Montanha, ou Puma, na América do Norte

Onça Pintada, o terceiro maior felino do mundo, o único que ataca as vítimas mordendo o crânio, uma excelente nadadora e um ícone de nossas matas

O dia também se tornou muito especial porque tivemos a alegria de testemunhar a Shahada da nossa querida e mais nova irmãzinha Thami Khadija, cujo vídeo segue no próximo post.

E além disso, os fatos engraçados de sempre: uma pessoa olhou para nós e falou "Olha as burquianas!!" se referindo à burka...

Em outro momento, a Najla ouviu alguém falar que éramos "arábiasauditianas"! Esta eu nunca havia ouvido =O... e a Thami se divertiu ao ver como as pessoas olhavam para nós, e para mim, uma munaqaba no meio do Zoológico de São Paulo.

Na saída, a velha desorganização e incompentência de sempre, mas foi um dia memorável, Mashallah! =D

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

SÓ UMA MUÇULMANA SABE DIZER COMO UMA MUÇULMANA SE SENTE

video

Vídeo para refletir...

Eu acho que, se você quer saber como se constrói um avião, você não vai perguntar para um padeiro sobre isto.

Da mesma maneira, você não pergunta para um budista, como se sente um padre.

Eu acho que você não pediria para um professor de matemática te ensinar sobre literatura.

Então é lógico que, se você quer saber como se sente uma muçulmana, o que ela sente, o que ela pensa, você deve perguntar para uma muçulmana.

Eu encontro na internet exemplos realmente impressionantes de demonstrações de ignorância disfarçadas de sabedoria. São pessoas que nunca na vida conversaram com uma muçulmana e querem definir o que somos, como nos sentimos, o que vivenciamos.

Querem tapar a nossa boca de forma violenta com as próprias mãos, e tornar nossa a voz deles à força, na base da violência!!

NINGUÉM TEM O DIREITO DE DIZER PARA AS OUTRAS PESSOAS COMO EU ME SINTO! Se você quer saber como uma muçulmana se sente, de verdade, sem mentiras, sem preconceito, sem pedantismo, sem enganação, é muito simples: pergunte a uma muçulmana, tá bom?

Salam! =)