segunda-feira, 2 de abril de 2012

Carta de Uma Jornalista Americana Para As Mulheres Muçulmanas



"Eles vão tentar seduzi-la com seus filmes excitantes e vídeos musicais, retratando falsamente as mulheres americanas como felizes e satisfeitas, orgulhosas de se vestirem como prostitutas, representadas sem famílias. A maioria de nós não está feliz, confie em mim. Milhões de nós está na medicação anti-depressiva, odiando os nossos empregos, e chorando a noite pelos homens que disseram que nos amavam, e avidamente nos usaram e se afastaram. Eles gostariam de destruir as famílias e convencer-nos a ter menos filhos. Eles fazem isso apresentando o casamento como uma forma de escravidão, a maternidade como uma maldição, e a modéstia e a pureza, como antiguadas. Eles querem que você barateie a si mesma e perca a fé.

As modas que saem do esgoto ocidental são concebidas para fazer você acreditar que seu bem mais valioso é sua sexualidade. Mas os seus lindos vestidos e véus são realmente mais sexies do que qualquer moda ocidental, porque eles escondem-na em mistério e mostram auto-respeito e confiança. A sexualidade de uma mulher deve ser protegida de olhos indignos, uma vez que deve ser o seu presente para o homem que ama e respeita o suficiente para casar com você. E desde que seus homens ainda são guerreiros viris, eles merecem nada menos do que o seu melhor. Nossos homens não querem mesmo mais pureza. Eles não reconhecem a pérola de grande valor, optando, ao invés, pelo strass chamativo. Só para deixá-la também! Seus bens mais valiosos são a sua beleza interior, a sua inocência, e tudo o que faz quem você é. Mas noto que algumas mulheres muçulmanas buscam o limite e tentam ser o mais ocidental possível, mesmo usando um véu (com exibição de alguns dos seus cabelos). Por que imitar as mulheres que já se arrependeram, ou em breve se arrependerão de sua virtude perdida? Não há nenhuma compensação por essa perda. Vocês são impecáveis diamantes. Não deixe que eles trapaceiem você para se tornar strass. Porque tudo que você vê nas revistas de moda e na televisão ocidental é uma mentira. É armadilha de Satanás. É ouro de tolo.

Vou deixá-la com um pequeno segredo, se você estiver curiosa: sexo pré-marital não é nada de tão especial. Demos os nossos corpos para os homens a quem éramos apaixonadas, acreditando que essa era a maneira de fazê-los nos amar e quererem casar, tal como crescemos assistindo na televisão crescendo. Mas, sem a segurança do casamento e a certeza de que ele vai sempre ficar com a gente, não é mesmo agradável!

Essa é a ironia. Foi apenas um desperdício, que nos deixa em lágrimas.

Falando de mulher para mulher, acredito que você já entendeu isso. Porque só uma mulher pode realmente entender o que está em outro coração de mulher. Nós realmente somos todas iguais. Nossa raça, religião ou nacionalidade, não importa. O coração da mulher é o mesmo em toda parte. Nós amamos. Isso é o que fazemos de melhor. Nós cuidamos de nossa família e damos conforto e força para os homens que amamos. Mas nós mulheres americanas fomos enganadas em acreditar que somos mais felizes com carreiras, nossas próprias casas para vivermos sozinhas, e liberdade para dar o nosso amor a quem nós escolhermos. Isso não é liberdade. E isso não é amor. Somente no porto seguro do casamento pode um coração e corpo de mulher serem seguros para o amor. Não se contente com nada menos. Não vale a pena. Você não vai mesmo gostar disso e você vai gostar de si mesma muito menos depois. E então, ele vai deixá-la...

O pecado nunca paga. Ele sempre engana você. Mesmo que eu tenha recuperado minha honra, ainda não há substituto para nunca ter sido desonrada em primeiro lugar. Nós, as mulheres ocidentais sofremos lavagem cerebral para pensar que vocês mulheres muçulmanas são oprimidas. Mas, na verdade, nós é que somos as oprimidas; escravas das modas que degradam-nos, obcecadas com o nosso peso, implorando pelo amor dos homens que se recusam a crescer. Bem lá no fundo, sabemos que fomos enganadas. Nós secretamente admiramos e invejamos você, embora algumas de nós não vamos admitir isso. Por favor, não olhe para nós ou pense que nós gostamos das coisas do jeito que são. Não é culpa nossa. A maioria de nós não teve pai para nos proteger quando éramos jovens, porque as nossas famílias têm sido destruídas. Você sabe quem está por trás dessa trama... Não se deixe enganar, minha irmã. Não deixe que eles te enganem também. Fique inocente e pura. Nós, mulheres cristãs precisamos ver o que a vida deve realmente ser para as mulheres. Precisamos de você para dar o exemplo para nós, porque estamos perdidas. Segure-se em sua pureza. Lembre-se: você não pode colocar a pasta de dente de volta no tubo. Por isso, guarde o seu "creme dental" com cuidado!

Eu espero que você receba este conselho no espírito em que se destina: o espírito de amizade, respeito e admiração.

De sua irmã cristã "Com Amor""

Joanna Francis é uma escritora e jornalista americana.

Eu copiei esta carta de um post da página TEMPO DE ACORDAR no Facebook.

Fui verificar a fonte e de fato é verídica, Joanna Francis é uma escritora e jornalista americana que de fato publicou esta carta, não que eu duvidasse da página do Facebook, mas com tantas notícias e matérias desencontradas por aí nesta sopa devidamente homogeinizada e direcionada sem nenhuma ética que é a imprensa ocidental, sempre é bom se precaver porque a própria página poderia ter sido enganada.

É de fato um belo texto, um alerta e um recado.

De minha parte, eu digo que a observância do "hijab" ou seja, da vestimenta islâmica feminina, é de fato algo profundo e importante, porque não vestimos a roupa tão somente, vestimos um modo de vida, uma maneira de pensar e agir, vestimos com nossas roupas a nossa religião, o nosso proceder, o Islam como um todo.

Costumo observar que principalmente nós mulheres do Islam sempre estamos representando a nossa religião. Pelo fato de que nossas vestimentas são muito mais marcantes do que as vestimentas masculinas, sempre estamos representando o Islam quando sociabilizamos, quando saímos na rua, quando estamos trabalhando, fazendo compras, passeando em nossos momentos de lazer, em tudo, todo o tempo.

isto significa também uma responsabilidade, e acima de tudo mostra que de fato não é simplesmente uma roupa, seu significado interior e exterior é muito mais profundo e complexo do que isto.

Pensando em tudo isto eu digo que observar o "hijab", ou seja, o modo de vestir islâmico, é sim sinal de modéstia, de recato, de fé, é sim a distinção enquanto mulher religiosa, mas é também RESISTÊNCIA, resistência à invasão brutal, à tentativa de objetificação, à tentativa de exploração e usufruto não autorizado, à tentativa de enquadramento no rebanho ordenhado e mastigado como objeto de consumo e fonte de "proteína" animal.

Observar o hijab é sim um ato social, político, e ideológico, é também persistência, e motivo de orgulho.

Salam!

3 comentários:

Denise Bomfim disse...

Salam, Gisele!

Muito interessante o relato.

Saudades de vc. Ficou ciente do Primeiro Encontro de católicos e muçulmanos em Foz?
Foi emocionante, coloquei algumas fotos no blog; veja-as depois.

Bjs.

Malik disse...

Assalaamo alaikom wa rahmato Allah wa barakaato sister Gisele,

I hope that you are doing great with the blessing of Allah azza wa jall.

I really like this message from this journalist, it's so clear and so honest from a woman that was rised in this model of the society, and know it better then anyone, and for my part i really share her fear about the threats of this model of society for all the humanity, and i can see the effects on all over the world, even in muslim countries, that they are getting more influenced and more engagened in this style of life, giving up their values and the teaching of our beloved prophet Mohammed peace be upon him, this is why i think that we have in front of us a long way of "Sabr" and "kifaah" to face this issues and to keep our values in this strange time, and try even to change it for the best insh'aAllah, and like this efforts of yours sister Gisele and all sincer muslims around the world we can do it with the help of Allah.

This message make me remember what the Nobel Laureate Dr Alexis Carrel said :

"In Islam, women are the treasure jealously guarded by all the family: each member sees the legacy of the past and guarantee of the future. In the West, it is often reduced to a cheap commodity, manipulated by advertising and crushed by the steamroller of production and consumption. "

Alhamdoli Allah for the belssing of Islam and for that He make us muslims.

Baaraka Allahu fiki sister Gisele, may Allah protect you always.

Andréia disse...

Salam

Muito profundoe verdadeiro o depoimento da jornalista.
O que ela disse é a verdade, que as mulheres do ocidente perderam seu valor ou pior não se dão devido valor.
Deixaram de ser perolas para se tornar bijouteria barata.
Eu não entendo porque nós critãs deixamos de usar véu e nos cobrir.
Lembro da minha vó usando veu para ir missa, ha pelos menos quase 30 anos atras e não se em que parte da trajetoria deixamos de usa-lo
As escrituras relatam que quando Rebbeca avistou sem noivo Isaque pela primeira vez e gostou dele, a escritura diz que ela pegou o seu veu e se cobriu.
Onde foi que nós deixamos de ser virtuosas para sermos objetos.
Parabens pelo blog

Bjus