terça-feira, 13 de março de 2012

O Próximo Dragão na Frente de Uma Mulher!


Há pessoas neste mundo que entram na vida com uma marca cravada em sua carne como ferro em brasa, como se fosse a marca da porta por onde entraram, por onde passaram para aqui estar.

Algumas nascem com a marca da sorte, outras nascem com a marca da alegria, há também aquelas que nascem com a marca do brilho das estrelas em suas frontes, ao contrário de outras que cruzam os campos infinitos desta existência como uma sombra vagando sozinha e sem rumo, sem saber para que veio, sem se importar com os passos que dá.

Penso que há a possibilidade forte de não serem apenas algumas pessoas, mas todas, cada qual carregando a sua marca, como um tema central de uma sinfonia, que liga tudo e sempre se repete ao menos em citação, por mais vaga que seja, ao longo de sua vida.

Se é assim não sei. Sei apenas de mim, do que eu observo, do cheiro que sinto, do capim molhado que toca a minha pele quando eu, eu sim, caminho.

Mas eu sei que eu nasci assim também marcada...

Nasci com a marca da guerreira que já foi cortada, que pisa em poças de sangue e campos de flores e procura aprender com as suas passadas, que caminha como uma loba solitária e sabe a hora certa de sorrir, tanto quanto sabe a hora certa de empunhar a espada, guerreira cicatrizada, que atravessou muros de pedras e picou muita carne no meio do caminho para chegar até aqui em pé, e ainda forte o suficiente para continuar a sua caminhada.

Muitas vezes eu vi o rosto da morte e seu cheiro fétido me encarando e rindo de mim, escuridão profunda em seus olhos tentando me tocar com seus dedos gélidos de ossos fossilizados, e muitas vezes a sombra enevoada e cinza de sua fumaça encobriu a luz tentando apagar meu sol interior, mas Subhanallah!!! Meu sol foi mais forte, não é mérito meu, Allah me fez assim, e eu como toda boa serva de Allah só posso aceitar, agradecer e continuar em frente.

Aceitar...

Aceitar é a palavra!

Quando cremos de verdade que tudo vem Dele, que não há nada maior do que Ele, quando sabemos e temos a certeza de que a caneta que escreve em nossas tábuas do destino só tem Um Dono, e só Ele é o Senhor dos Mundos e de todas as linhas escritas e já traçadas em nosso livro da vida, aceitar, aceitar, aceitar é a palavra...

Eu tenho rezado e me concentrado novamente em questões dentro de mim. Todas as noites eu rezo o Isha e então termino meu dia e me recolho em silêncio em meu quarto, eu abro a janela que dá para a direção de Maka e contemplo a cidade, envolvida somente por meus duás.

É por isso que ando sumida, é por isso que estou meio quieta e longe do MSN e dos meus perfis e é por isso que eu estou escrevendo pouco aqui.

Mas sabe? Tem vezes que em nossa pequena estatura de sabedoria humana somos tentados a definir e saber exatamente o que Allah determina.

Muitas vezes também nos enchemos de soberba e temos a certeza de que compreendemos a Sua sabedoria infinita, e certamente adivinhamos o que Ele pensa, o que Ele quer, e o que Ele determina e acha certo para nós.

Tolos!!! Somos realmente tolos e ínfimos quando agimos assim!!

Porque não somos nós que determinamos, na verdade somos antes de tudo fruto da determinação de Allah! É o contrário do que pensamos nestas horas. Nada há no mundo sem que Ele tenha assim determinado.

Eu sou assim, e tenho de aceitar...

Eu me aceito sim, embora seja uma criança teimosa às vezes e tente fugir do tema da minha vida, como se fosse possível, porque você pode sim mudar a sua vida com base em suas escolhas, pode se desenvolver e mudar seu caminho, pode resolver pintar as paredes do seu quarto de verde e no dia seguinte resolver tingi-las de azul. Somos livres, mas Ele já sabe, porque até nossas escolhas são escritas de acordo com o que Allah determinou para cada um de nós.

Mas o tema, a raiz da composição, este é sempre imutável e se repete até o fim do concerto, até o fim da sua apresentação.

A lama já secou no campo de batalha.

O aço fundido se torna em espada e brilha no meio da planície desolada.

Na minha frente há novamente um novo dragão, eu o encaro com os meus olhos verdes, manchada com a pintura de guerra e empunhando a espada na minha frente...

Eu vou picá-lo totalmente e fazer jorrar o seu sangue! Posso até sair ferida e arranhada mas quer saber? Eu não ligo!!


Vai ser apenas mais uma marca, mais uma cicatriz em meu corpo de onça pintada, acostumada com a guerra e com a caçada...

Eu dou o meu primeiro passo em direção a ele, e ele ruge profundamente...

Allahu Akbar!!!

(continua...)

4 comentários:

Denise Bomfim disse...

Salam, Gisele!

Mash´Allah! Fantásticoo seu texto. Não se esqueça de registrá-los e lançá-los em um livro, pois sei que a escrita de um livro te espera...

Mana, está sabendo do primeiro encontro internacional entre católicos e muçulmanos em Foz?
Veja as informações em meu blog.
Acho maravilhoso o diálogo inter-religioso.
Um beijo!

safira disse...

Allahuakbar !
É exatamente como me sinto, irmã. No campo de batalha. Essa é a grande batalha... Nós fomos marcadas para ela. Com louvor, por Amor... Alhamdulillah !

Malik disse...

Allahu Akbar sister, maach'aAllah,

It was long time that i didn't read your great articles sister Gisele, i had really missed them a lot, and always it's a great pleasure to read your writing, and i agree with sister Bomfim Denise that you should gether all of them and make it in a book , that will be really so fantastic : maach'aAllah sister you are so talented.

May Allah bless you and rewards you, and give you knowledge to your knowledge, and make it in your balance in the day of judgement, and make your place in Al-Firdaws Al'Aala.

A Mesa d'Arcano disse...

Interessantíssimo...