quarta-feira, 18 de julho de 2012

Ramadan...


Então chegou novamente o Ramandan, e o meu coração se enche de esperança e expectativas porque eu sei que será um novo período de reflexão, experimentação, vivências, e aprendizados.

Eu já descrevi o Ramadan aqui no FILHA DA ALVORADA, não vou repetir isto porque não acho necessário, mas para quem está conhecendo o Islam agora, recomendo a leitura do meu post neste link: http://filhadaalvorada.blogspot.com.br/2011/08/mas-afinal-de-contas-o-que-e-e-como-e-o.html 

Agora eu tenho um novo blog pessoal, o ROSAS EM VERSO E PROSA, mas eu acho que este post será um misto de pessoal com islâmico, eu nunca sei até onde os meus escritos vão me levar, eu apenas sinto e escrevo, e com isto navego até o porto de chegada.

O Ramadan é o mês da revelação do Alcorão, pois foi no Ramadan que o Alcorão foi revelado por Allah, Subhana wa Taala, através do Anjo Gabriel, para o Profeta Muhammad (saws).

É também um mês em que a Ummah no mundo todo se une em orações, jejum do alimento, da água, do coração, da língua, da mente, um mês onde temos a promessa do perdão das faltas cometidas anteriormente, um mês onde sempre ganhamos, onde as portas do céu estão abertas, e as portas do inferno estão trancadas, um mês onde o shaytan está acorrentado, um mês de confraternização, paz, congregação.

Há tantas coisas que eu quero falar sobre este Ramadan em especial, eu tenho tantas esperanças em meu coração, e elas são tão grandes que superam em muito o que existe de decepção.

Eu peço a Allah em minhas súplicas que todos possamos ter um bom Ramadan. E peço a Allah que possamos de fato fazer o jejum verdadeiro, eu peço a Allah que eu possa de fato jejuar, mas não falo do jejum do alimento, falo do jejum da alma, do coração, da mente.

Temos, todos nós, tanto a aprender, e tanto a superar, e podíamos aproveitar este Ramadan para refletir sobre isto, refletir sobre união, sobre perdão, sobre o real sentido de sermos A Nação do Profeta Muhammad (saws).

Eu me lembro novamente dos meus dias inocentes em que eu, ávida por conhecimento e tendo sido arrebatada pela leitura do Alcorão, pesquisava, lia e aprendia coisas lindas sobre o Islam, sobre o modo de vida islâmico, sobre o que Allah nos determinou e nos ensinou à respeito do Seu caminho, o Caminho da Senda Reta.

Eu faço referência a estes dias porque eu de certa forma vivenciei um Ramadan antes de ser muçulmana. Então para mim é sempre o fechamento de um ciclo, me lembro que eu me sentia agoniada durante o Ramadan porque em meu coração eu já era muçulmana mas não havia feito ainda a Shahada, e como eu já tinha contato com o Islam de forma anônima, eu vi todos os muçulmanos vivenciando o Ramadan e eu não conhecia ninguém! Eu nunca havia ido à uma mesquita, e vivenciei tudo isto sozinha, dentro da minha casa...

Eu me lembro que foi algo estranho como me sentir parte de algo do qual eu ainda não fazia parte, foi como estar escondida em um vagão de um trem, anônima, foi como estar ligada porém distante. Foram lindos dias aqueles, hoje eu sei, lindos dias... de ansiedade, de descobertas, de alegrias e de renascimento para mim.

Foi como descobrir onde de fato o sol nascia, e depois do Ramadan, eu fiz a minha Shahada, a dois anos atrás, a dois anos atrás...

E depois disto? Depois disto foi como voltar a ser criança! E como criança eu vivi muitos momentos lindos, guardando em meu coração sempre a espera gostosa e ansiosa pelo meu primeiro Ramadan.

Agora, às portas do Ramadan deste ano, o meu segundo Ramadan, eu estou muito feliz e agradecida a Allah por estar aqui viva e por ser muçulmana!

Dois anos... parece uma eternidade, mas na verdade é apenas o começo, ainda sou uma bebê no Islam. Neste tempo todo, tantas coisas eu vivi e tantas coisas eu senti... foi como estar no meio de um furacão de sentimentos, mas ainda estou aqui.

Em dois anos, eu vi pessoas chegarem e também partirem, eu vi o Islam crescer de uma forma impressionante, vivenciei coisas que me emocionaram, e outra que cortaram com faca o meu coração, eu derramei lágrimas de alegria, mas também de tristeza e dor, eu fui feliz e ao mesmo tempo triste, eu vi pessoas transformarem a sua vida, amigas que chegaram e ficaram, outras que se foram para sempre, eu vi a prática verdadeira do Islam, e também desunião, e hipocrisia...

O Ramadan é também um mês de reflexão, porque não aproveitamos para refletir sobre isto? Porque Subhanallah não podemos nos unir de fato? Superar as diferenças, promover as igualdades, e perceber que todos ganham quando há união verdadeira, e que ao contrário NÃO HÁ VENCEDORES quando brigamos e nos desunimos?

Em dois anos eu conheci pessoas que me impressionaram por sua fé verdadeira e principalmente porque realmente praticam aquilo no qual acreditam. Eu também conheci pessoas que me decepcionaram muito, e outras cujo equilíbrio me parece ser algo realmente frágil. Mas eu acho que tudo isto é muito humano, porém eu amo muito a Allah, eu amo o Islam, e eu amo por Allah todos os meus irmãos e irmãs no Islam, e sabem eu gostaria que fôssemos de fato a prática real do conceito de sermos IRMÃOS, porque irmandade no Islam não é chamarmos uns aos outros de irmãos. Irmandade no Islam é de fato uma irmandade, é de fato enxergar no outro a si mesmo, e com base nisto agir, e se relacionar.

Agora estamos todos atentos ao céu, esperando a Lua certa e abençoada, que nos trará o nosso Ramadan...

Enquanto eu olho para o céu à noite eu peço a Allah em minhas súplicas que haja esta reflexão, que haja de fato o perdão, que haja de fato um sentimento de congregação.

Não sei se este é o Ramadan que um dia eu pensei que teria, há sempre e sempre haverá um Ramadan que nunca veio, que nunca virá para mim... este permanecerá guardado em minhas lembranças daquilo que ficou no campo dos sonhos esquecidos e ao mesmo tempo preservados.

E sim eu lamento muito por isto... mas Allah sabe mais! E que venha então o novo Ramadan!

Que Allah nos abençoe a todos e aceite o nosso jejum, e as nossas orações.

Ramadan Kareen!






Um comentário:

Denise Bomfim disse...

Salam, irmã Gisele!

Saudades de ti, de tuas palavras, de tua poesia...vou visitar teu novo blog logo.

Ramadan Mubarak! Através de uma canção de Sami Yusuf, estou a desejar bênçãos para todos nós,
se puder assistir ao video no meu blog, ficarei contente com teu comentário.

Um abraço fraterno,
Denise Bomfim.