quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ANTES DA LUZ - Transcrição do "Livro das Sombras" - "O que de fato está acontecendo e o que há aqui"


Este texto foi escrito no Livro das Sombras, em um domingo, no dia 17 de outubro de 2010, dois dias antes da minha Shahada.

Eu estava em plena ânsia febril por estudar o Islam e decidi comprar um hijab para experimentar. Como eu nada sabia e nada conhecia, esta busca se tornou uma verdadeira "epopéia" que acabou entrando em paralelo com a busca dentro de mim e culminou com a minha Shahada, quando coincidentemente eu acabei encontrando o meu primeiro hijab.

Foi só eu fazer a minha Shahada, que ele apareceu na minha frente em uma loja...

Eu vou transcrever aqui três textos do Livro das Sombras, este que é antes da minha Shahada, o texto do dia da minha Shahada, e o primeiro texto escrito depois que eu me tornei muçulmana...


&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

"Estou escrevendo um post para dizer que não há aqui o uso alegórico ou fantasioso do véu.
Porque é verdade que hoje encontramos em todos os lugares por onde olhamos o véu usado por inúmeros outros motivos que não são os motivos que existem no uso do véu de fato.

Isto começa a me incomodar um pouco, mas não cabe a mim o julgamento, nem tampouco a condenação. Não escrevo isto para apontar o que é o erro e o que é o certo, quem sou eu para fazer isto, eu sou apenas uma mulher, e sempre sempre apenas uma aprendiz, mas quero deixar isto de forma clara, aqui não há alegoria, aqui não existe a expressão de uma fantasia.

Se estou escrevendo sobre minha busca pelo hijab, se coloco aqui e nos meus perfis fotos em que estou usando o véu, é porque isto é sério, merece de mim o respeito que sempre procurei ter comigo mesma, com todos, com tudo, é porque é novamente verdade, e não alusão.

A única alusão que pode ser feita em minha busca pelo meu primeiro hijab, é a alusão à busca interna que está acontecendo em mim, ou melhor dizendo talvez ao encontro que está acontecendo, mas aqui é verdade, e engana-se aquele que vem a este meu canto procurando a satisfação de suas próprias fantasias, porque elas não são minhas, são daquele que as busca, e por engano quer encontrá-las entre a minha verdade.

Engana-se aquele que olha também para este meu blog com olhos de superficialidade, ou com leviandade, este vai se decepcionar, e provavelmente nada entenderá, porque sempre há oceanos profundos e recantos vibrantes quando tentamos ao menos a sinceridade em si mesma, mas é preciso calma e profundidade do olhar para saber encontrar e de fato enxergar.

Hoje sou novamente aprendiz. Humildemente sempre me vejo assim. Confesso que estou de fato caminhando a passos largos, porém pensados, passos firmes porém ritmados, encantada que estou com as dádivas que recebo porém consciente do fato de que ainda não me sinto pronta para dizer que sim, eu sou uma mulher muçulmana.

Mas estou caminhando na estrada que eu considero certa para me sentir pronta, dedico o melhor de mim à este momento, como de fato sempre procurei dedicar, então o momento é novamente de intensa e profunda mudança e transformação em minha vida, como isto foi acontecer?

Eu sei! Ou pelo menos eu tenho as pistas para entender o que está acontecendo comigo. Porque eu estava morta! Morta de fato, de morte nascida e de morte matada, mas renasci!

E depois do torpor dos primeiros dias de Sol em minha existência, veio a paz, e a maturidade, é quando de fato sentimos que tudo, tudo mudou! É o que de fato aconteceu comigo.

Com a serenidade vieram novos anseios, novas necessidades de aprendizagem e de vivência, e eu que sempre tive a coragem de caminhar caminhei, estou caminhando, não me vanglorio disto, engana-se quem pensa que isto me faz melhor, ou elevada perante outras pessoas, pois este não sabe que antes de tudo eu tive de ser assim para estar viva até hoje, questão que foi de sobrevivência e não de virtude, se é virtude não sei, só sei que é por isto que agora estou viva, só sei que é por isto que não há mais morte em mim.

Então é assim, se agora apareço de véu é porque é legítimo, não é fantasia, que isto fique bem claro!

É porque, a estas alturas, talvez pelo que acredito eu já possa ser considerada de fato uma muçulmana, apenas não me considero pronta para me nomear assim. Ainda não dei meu testemunho, humildemente digo a mim mesma que não estou pronta, estou me preparando com respeito e dedicação, e assim que estiver pronta de fato eu farei.

Antes disto, não vou usar da palavra! Não vou me expressar em cumprimentos, não vou pendurar em mim um título e agitar ao vento como bandeira para chamar a atenção, eu não sou assim! Não é isto que me interessa, não é isto que me traz sempre aqui.

Não faço também da mudança motivo para desmerecer ou diminuir tudo o que eu já vivi. Aqui também não há hipocrisia de minha parte, apenas a sinceridade que sempre procurei ter acima de tudo comigo mesma, a tentativa verdadeira de traduzir em palavras a minha alma e meus sentimentos, os passos dados de meu caminho, apenas isto e nada mais.

É o que está acontecendo, é o que há aqui..."
São Paulo (SP), 17 de outubro de 2010.

2 comentários:

Andreza Hana disse...

Assalamu Waleikum Gisele, amei teu texto e vc escreve mto bem.
As pessoas se incomodam demais com a vida dos outros, eu que o diga! As pessoas nos decepcionam,mas Allah nunca irá nos decepcionar.
Se vc escolheu usar o niqab ninguém tem nada a ver com isso, nao é verdade? Cada um deve cuidar da própria vida, pois cuidando da própria vida e já terá o bastante com que se ocupar. Qto a quem usa o hijab correto ou incorreto, Allah sabe mais e julgará cada um com a justiça merecida.
Sinceramente, eu a admiro, nao por usares o niqab, mas como pessoa, por teres um coraçao puro e reto diante de Allah, pela transformaçao da tua vida e a tua dedicaçao. Que Allah continue te guiando a senda a reta.

bjiimm e ótima noite flor

http://meuamorpaquistanes.blogspot.com/

Gisele Marie disse...

Aleikum salam minha querida irmã no Islam!

Todos os louvores são para Allah, que encaminhou esta teimosa aqui até onde estava a verdadeira luz, que Ele nos abençoe sempre a todos que fazemos parte da Nação do Profeta Muhammad (saws) e da Religião de Allah...

Este texto foi escrito dois dias antes da minha shahada, naquele momento eu reafirmava que estava de fato caminhando em um caminho de verdade, não era algo leviano de minha parte, e nunca foi, tanto que este caminho me levou a uma nova e linda vida, Graças a Allah louvado seja para sempre por isto...

Que Allah te abençoe sempre querida irmã =)

bjinho

Maa Salama